Dúvidas

HPV

O HPV É sexualmente transmissível?
Sim. É transmitido principalmente através das relações sexuais, podendo também ser contraído por contato pele a pele ou através de objetos contaminados. É um vírus comum: calcula-se que entre 75% e 80% da população contraia um ou mais tipos de HPV em algum momento da sua vida.

Como prevenir o HPV?
A prevenção primária evita a contaminação pelo HPV:
uso de preservativos é imprescindível, mas não garante a proteção total já que ele pode estar alojado no escroto. Evitar grande quantidade de parceiros sexuais.
Prevenção secundária: fazer o diagnóstico precoce da lesão antes que esta se transforme em câncer permitindo o tratamento em tempo hábil com mínimas sequelas. Inclui: ida regularmente ao ginecologista e realizando exames de Papanicolau onde serão coletadas e examinadas células do colo do útero. A colposcopia também é importante, pois permite a visualização de lesões mínimas evitando assim que evolua para quadros piores.
Quando há discordância entre os exames o melhor exame a ser realizado é a captura híbrida. Ela detecta o tipo viral e a carga viral. Serve de apoio diagnóstico informando se é um tipo viral altamente oncogênico (capaz de levar ao câncer) ou não.

Existe uma vacina, como ela age e com que idade deve-se tomar?
Existem dois tipos de vacina contra o HPV, a bivalente e a quadrivalente. A vacina quadrivalente reduz o risco de infecção causada por quatro subtipos do HPV (6,11,16,e 18). O 6 e o 11 estão relacionados a 90% das verrugas genitais. Os outros dois o 16 e o 18 estão relacionados a 70% dos cânceres de colo de útero. Essa vacina está liberada para mulheres de 9 a 26 anos e estamos aguardando liberação da ANVISA para estender até 45 anos já que está aprovada em outros países até essa idade. A vacina bivalente é indicada para prevenção dos subtipos 16 e 18 e pode ser aplicada em mulheres de 10 a 25 anos.

A vacina serve para tratar o HPV?
As vacinas atuais não tratam lesões nem eliminam infecções prévias. Elas são aplicadas em três doses.

Quem tem HPV pode engravidar?
Sim. Ela pode engravidar, mas deve comunicar seu obstetra e fazer um bom pré-natal e acompanhar. Se houver lesões, essas poderão ser tratadas com medicamentos que não prejudicam o bebê.

Como se trata o HPV?
Não existe tratamento para o vírus. O tratamento é feito para as lesões. Existem alguns tipos de ácidos, laser, e outros que devem ser discutidos o melhor para cada caso com seu ginecologista.

Quem tem HPV pode ter parto normal?
Sim. A via de parto vai ser discutida com o obstetra e vai depender da extensão das lesões porque a contaminação já ocorreu durante a gestação.

O bebê nasce com algum problema?
Ele nasce com o vírus, mas geralmente o próprio organismo do bebê acaba eliminando o vírus não trazendo maiores danos.

Sobre o sono

Em breve